terça-feira, 6 de outubro de 2015

Marta, Marta, andas inquieta com tanta coisa

       Naquele tempo, Jesus entrou em certa povoação e uma mulher chamada Marta recebeu-O em sua casa. Ela tinha uma irmã chamada Maria, que, sentada aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Entretanto, Marta atarefava-se com muito serviço. Interveio então e disse: «Senhor, não Te importas que minha irmã me deixe sozinha a servir? Diz-lhe que venha ajudar-me». O Senhor respondeu-lhe: «Marta, Marta, andas inquieta e preocupada com muitas coisas, quando uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada» (Lc 10, 38-42).
       Cansado da jornada, Jesus tem na casa de Lázaro, de Maria e de Marta um porto de abrigo. Ao passar sabe que pode descansar e retemperar as forças. Marta atarefa-se para cuidar do bem-estar de Jesus. Maria acolhe-O na escuta atenta. Duas formas de acolhimento que Jesus aprecia.
       O reparo de Marta a Jesus, merece d’Ele um outro reparo. O que Maria faz é tão ou mais importante. Não basta alimentar o corpo, mas também o espírito. Ela escuta-O, conforta-O do cansaço da missão.
       A Igreja é Marta e Maria. Mas se for demasiado Marta pode esquecer-se da sua origem e do seu fim último. Tudo começa em Deus, na oração, na meditação e na contemplação que leve à Sua adoração. O compromisso com os outros e com o mundo, para o crente, há-de partir daqui, para que não haja instrumentalização de pessoas nem falte a alegria no serviço solidário.

Reflexão mais ampla no XVI Domingo do Tempo Comum

3 comentários:

  1. Adorei a colocação Pe. Manuel, quando o senhor compara a Igreja como sendo Marta e Maria. Muito legal. Não tinha ainda conhecido esse ponto de vista. Amei! Parabéns. Aprendi mais uma! Acabei de postar um texto muito lindo do Pe. Joãozinho sobre as bênçãos de outubro.Passe lá! Ah! Copiei a foto maravilhosa!

    ResponderEliminar
  2. Olá Pe. Manuel
    Às vezes sinto-me Marta e Maria ao mesmo tempo. Acabo por ficar tão embrulhada que não consigo suster-me em nenhuma.
    Que Deus nos ajude a definir as prioridades, porque nem sempre Marta nem sempre Maria.
    Estarei certa?
    Abraço em Cristo e Maria

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde.
    Agradecendo estes dois comentários, que convidam a reler e aprofundar esta dupla dimensão do cristão e da Igreja.
    As bênçãos de Outubro é um excelente texto que nos mostra a santidade como caminho da Igreja e dos cristãos, na missão evangelizadora da Igreja, que parte da oração. Veja em Alfa e Ómega.
    Por outro lado e como refere a Dulce, o importante como cristãos (e como pessoas) é que saibamos definir prioridades. O ideal é que sejamos Marta e Maria, ainda que tenhamos que partir sempre da oração, da escuta da palavra, da intimidade com Jesus Cristo. O nosso compromisso só será verdadeiramente transformador se impregnado da vida que Cristo nos dá. É um equílibrio que buscamos...

    ResponderEliminar