segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Farei de vós pescadores de homens...

       Depois de João ter sido preso, Jesus partiu para a Galileia e começou a proclamar o Evangelho de Deus, dizendo: «Cumpriu-se o tempo e está próximo o reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no Evangelho». Caminhando junto ao mar da Galileia, viu Simão e seu irmão André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. Disse-lhes Jesus: «Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens». Eles deixaram logo as redes e seguiram-n’O. Um pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam no barco a consertar as redes; e chamou-os. Eles deixaram logo seu pai Zebedeu no barco com os assalariados e seguiram Jesus ( Mc 1, 14-20).
       Com o Batismo do Senhor, iniciámos o Tempo Comum.
       O ano litúrgico divide-se em vários tempos, que acentuam outras tantas dimensões da vida de Jesus e da vida do cristão e da Igreja. O tempo do Advento, como preparação para o Natal; o tempo do Natal; o tempo da Quaresma: quarenta dias de preparação para a Páscoa; a Páscoa e o Tempo Pascal, onde se acentua o mistério da morte e da ressurreição de Jesus, com a referência especial para o Tríduo Pascal: Quinta-feira santa, Sexta-feira santa e Sábado Aleluia, e o tempo Comum que se inicia com o Batismo do Senhor e terminará na Solenidade de Cristo Rei, na 34.ª Semana.
       Hoje o Evangelho dá-nos conta do chamamento dos Apóstolos. João Baptista é preso. Jesus, abertamente, desloca-se de aldeia em aldeia, pelas povoações, para anunciar o Evangelho do Reino de Deus, no desafio constante à conversão. É neste contexto inicial que chama os primeiros discípulos para fazer deles pescadores de homens...

Sem comentários:

Enviar um comentário