terça-feira, 5 de julho de 2016

A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos

       Apresentaram a Jesus um mudo possesso do demónio. Logo que o demónio foi expulso, o mudo falou.
       A multidão ficou admirada e dizia: «Nunca se viu coisa semelhante em Israel». Mas os fariseus diziam: «É pelo príncipe dos demónios que Ele expulsa os demónios».
        Jesus percorria todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas, pregando o Evangelho do reino e curando todas as doenças e enfermidades. Ao ver as multidões, encheu-Se de compaixão, porque andavam fatigadas e abatidas, como ovelhas sem pastor. Jesus disse então aos seus discípulos: «A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara» (Mt 9, 32-38).
        A missão de Jesus é constante. Por vezes ficam apenas escassos momentos para descansar, retirando-se para lugares isolados, com uma multidão que procura adivinhar onde Ele está. Percorre cidades e aldeias. Vai ao encontro das pessoas, nas sinagogas, lugares de oração, de escuta da Palavra de Deus, de reflexão, aos campos, às praças. Definitivamente vai, vem, ao encontro das pessoas. Hoje, fá-lo através de nós, sempre e quando nos predispomos amar ao jeito que Ele amava.
       Anuncia o Reino de Deus, cura doenças e enfermidades.
       Também nós, do mesmo modo, em palavras e em atos, somos enviados a anunciar este reino de paz, de justiça e de amor. Também nós possuímos um poder curativo. Como o utilizamos? Quando vêm até nós, contribuímos para a saúde e a alegria daqueles que vêm?
       No reino de Deus há lugar para todos. Todos são necessários, todos são sempre poucos...A seara é grande... No reino de Deus todos figuram como intervenientes principais. A seara é grande... Deus quer precisar de todos nós. Criou-nos livres, salva-nos na nossa liberdade, no nosso sim. Todos somos chamados. Cabe a cada um responder à chamada, com as palavras e a vida. Cabe a cada um acolher o Seu Espírito Santificador...

Sem comentários:

Enviar um comentário