quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Eu vi-te quando estavas debaixo da figueira

       Jesus resolveu partir para a Galileia. Encontrou Filipe e disse-lhe: «Segue-Me». Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro. Filipe encontrou Natanael e disse-lhe: «Encontrámos Aquele de quem está escrito na Lei de Moisés e nos Profetas. É Jesus de Nazaré, filho de José». Disse-lhe Natanael: «De Nazaré pode vir alguma coisa boa?» Filipe respondeu-lhe: «Vem ver». Jesus viu Natanael, que vinha ao seu encontro, e disse: «Eis um verdadeiro israelita, em quem não há fingimento». Perguntou-lhe Natanael: «De onde me conheces?» Jesus respondeu-lhe: «Antes que Filipe te chamasse, Eu vi-te quando estavas debaixo da figueira». Disse-lhe Natanael: «Mestre, Tu és o Filho de Deus, Tu és o Rei de Israel!». Jesus respondeu: «Porque te disse: ‘Eu vi-te debaixo da figueira’, acreditas. Verás coisas maiores do que estas». E acrescentou: «Em verdade, em verdade vos digo: Vereis o Céu aberto e os Anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem» (Jo 1, 43-51).
        Dois dos discípulos seguiram Jesus. Um deles, André, foi ao encontro do seu irmão (Simão Pedro) para lhe dizer que tinham encontrado o Messias. Hoje, vemos um processo idêntico. Jesus encontra Filipe e diz-lhe: segue-me. Ontem, tinha dito aos discípulos (de João): vinde ver. Para conhecermos Jesus é necessário ir com Ele, segui-l'O, ver onde mora, viver com Ele, adotar o seu estilo de vida. Só dessa forma poderemos transpirar Jesus e testemunhá-l'O com convicção.
       Tal como André, Filipe, no evangelho deste dia, não guarda a descoberta, a alegria de encontro do Messias, para si, mas comunica-a, no caso concreto, a Natanael. Perante as dúvidas deste, Filipe propõe o mesmo que Jesus tinha feito: vem ver. Não adianta muitas palavras, muitas justificações, importa que a experiência de encontro com Jesus seja pessoal.
       Em todo o caso, a interrogação de Natanael coloca Jesus num lugar muito específico, em Nazaré. De algum modo, podemos concluir que é possível encontrar Deus em toda a parte, mesmo onde julgávamos que isso seria impensável.

Sem comentários:

Enviar um comentário