sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

O reino de Deus pode comparar-se...

        Disse Jesus à multidão: «O reino de Deus é como um homem que lançou a semente à terra. Dorme e levanta-se, noite e dia, enquanto a semente germina e cresce, sem ele saber como. A terra produz por si, primeiro a planta, depois a espiga, por fim o trigo maduro na espiga. E quando o trigo o permite, logo se mete a foice, porque já chegou o tempo da colheita». Jesus dizia ainda: «A que havemos de comparar o reino de Deus? Em que parábola o havemos de apresentar? É como um grão de mostarda, que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes que há sobre a terra; mas, depois de semeado, começa a crescer e torna-se a maior de todas as plantas da horta, estendendo de tal forma os seus ramos que as aves do céu podem abrigar-se à sua sombra» (Mc 4, 26-34).
        As parábolas são uma constante na pregação de Jesus. Partindo de situações concretas, da vida do dia a dia, Jesus torna mais clara a mensagem sobre o reino de Deus. Hoje compara o reino de Deus a um homem que lança a semente à terra e mesmo dormindo a semente vai crescendo até dar fruto, quase sem se perceber a ação do "semeador". A segunda parábola, do grão de mostarda, acentua que não é o tamanho ou o poder inicial da semente... mas a seiva no seu interior que de pequena semente a torna uma árvore frondosa.
       Deus sustenta o mundo em todo o tempo, mesmo quando as situações problemáticas parecem mostrar a ausência de Deus. Mesmo quando não se percebe a presença e o amor de Deus, Deus está, Deus faz-Se presente, Deus conta connosco. Por outro lado, não importa a pobreza inicial da nossa vida, mas o que poderemos vir a tornar-nos...

Sem comentários:

Enviar um comentário