sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

É um profeta como os antigos profetas...

       O rei Herodes ouviu falar de Jesus, pois a sua fama chegara a toda a parte e dizia-se: «João Baptista ressuscitou dos mortos; por isso ele tem o poder de fazer milagres». Outros diziam: «É Elias». Outros diziam ainda: «É um profeta como os antigos profetas». Mas Herodes, ao ouvir falar de tudo isto, dizia: «João, a quem mandei cortar a cabeça, ressuscitou»...
        ...Ela voltou apressadamente à presença do rei e fez-lhe este pedido: «Quero que me dês sem demora, num prato, a cabeça de João Baptista». O rei ficou consternado, mas por causa do juramento e dos convidados, não quis recusar o pedido. E mandou imediatamente um guarda, com ordem de trazer a cabeça de João. O guarda foi à cadeia, cortou a cabeça de João e trouxe-a num prato. A jovem recebeu-a e entregou-a à mãe. Quando os discípulos de João souberam a notícia, foram buscar o seu cadáver e deram-lhe sepultura (Mc 6, 14-29).
       A fama de Jesus espalha-se e, consequentemente, muitos se interrogam sobre a Sua identidade. Chega aos ouvidos de Herodes e também este se questiona sobre a figura do "suposto" Messias. Alguns sugerem que Ele é João Batista ressuscitado.
              A figura de Herodes, odiado pela população em geral, usa e abusa do poder que tem, e não se imiscui de aniquilar todos aqueles que aparentam ser ameaça pelas palavras que proferem ou pelo poder que almejam. João Batista é mais uma vítima, ainda que no caso a instigadora seja Herodíades, a mulher de Herodes..
       O Evangelho, narrando a morte de João Batista, mostra como por vezes a verdade pode provocar aqueles que vivem na mentira e na falsidade.
       A morte de João Baptista marca uma nova etapa na vida e missão de Jesus. O que poderia ser um sinal ameaçador, converte-se num motivo aglutinador na pregação de Jesus.

Sem comentários:

Enviar um comentário