quinta-feira, 30 de março de 2017

João era uma lâmpada que ardia e brilhava...

       O Senhor disse ainda a Moisés: «Tenho observado este povo: é um povo de dura cerviz. Agora deixa que a minha indignação se inflame contra eles e os destrua. De ti farei uma grande nação». Então Moisés procurou aplacar o Senhor seu Deus, dizendo: «Por que razão, Senhor, se há-de inflamar a vossa indignação contra o vosso povo, que libertastes da terra do Egipto com tão grande força e mão tão poderosa... (Ex 32, 7-14).
      Jesus disse aos judeus: «Se Eu der testemunho de Mim mesmo, o meu testemunho não será considerado verdadeiro. É outro que dá testemunho de Mim e Eu sei que o testemunho que Ele dá de Mim é verdadeiro. Vós mandastes emissários a João Baptista e ele deu testemunho da verdade. Não é de um homem que Eu recebo testemunho, mas digo-vos isto para que sejais salvos. João era uma lâmpada que ardia e brilhava e vós, por um momento, quisestes alegrar-vos com a sua luz. Mas Eu tenho um testemunho maior que o de João, pois as obras que o Pai Me deu para consumar – as obras que realizo – dão testemunho de que o Pai Me enviou. E o Pai, que Me enviou, também Ele deu testemunho de Mim. Nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua figura e a sua palavra não habita em vós, porque não acreditais n’Aquele que Ele enviou. Examinais as Escrituras, pensando encontrar nelas a vida eterna; são elas que dão testemunho de Mim e não quereis vir a Mim para encontrar essa vida. Não é dos homens que Eu recebo glória; mas Eu conheço-vos e sei que não tendes em vós o amor de Deus. Vim em nome de meu Pai e não Me recebeis; mas se vier outro em seu próprio nome, recebê-lo-eis. Como podeis acreditar, vós que recebeis glória uns dos outros e não procurais a glória que vem só de Deus? Não penseis que Eu vou acusar-vos ao Pai: o vosso acusador será Moisés, em quem pusestes a vossa esperança. Se acreditásseis em Moisés, acreditaríeis em Mim, pois ele escreveu a meu respeito. Mas se não acreditais nos seus escritos, como haveis de acreditar nas minhas palavras?» (Jo 5, 31-47).

       A figura de Moisés é-nos apresentada nas duas leituras, no Êxodo e no Evangelho.
       Na primeira leitura, vemo-lo como intercessor junto de Deus, para aplacar a Sua ira contra o povo que se transviou, que se afastou dos caminhos do Senhor. Nas palavras de Moisés escutámos o sentir do próprio Deus que contraria a nossa facilidade em julgar e em condenar. Deus está sempre pronto a perdoar, vindo ao nosso encontro, está à porta e bate...
       Jesus fala em Moisés, para dizer que a fé nas palavras de Moisés levam à fé na Palavra de Deus que encarna em Jesus Cristo. Por outro lado, Jesus apresenta-Se como novo Moisés. Este intervém para que Deus não se ire contra o povo da Aliança; Jesus vem, não para condenar, mas para salvar e dar a vida pela humanidade.
       Testemunham a favor de Jesus, o próprio Moisés, João Baptista, e, mais importante, o próprio Deus, cujas obras Jesus realiza. Ao falar de João Baptista, Jesus fala-nos ao coração. A luz é sempre uma procura... ainda que a nossa treva nos tolde a mente...

Sem comentários:

Enviar um comentário